Branding:como gerir marcas de sucesso

Branding:como gerir marcas de sucesso

Você já parou para pensar por que algumas marcas são mais fortes do que outras que oferecem o mesmo produto ou serviço? Por que escolhemos uma e raramente olhamos para as outras prateleiras para buscar novas alternativas? Por que ao falarem em alguns produtos como “celulares”, “carros”, “refrigerantes” ou “roupas”, pensamos em uma marca específica?

A resposta para isso é simples: essas empresas fizeram um excelente trabalho de branding. O branding, ou gestão de marca, é todo o trabalho realizado para tornar a sua marca mais conhecida, desejada e consumida.

Ele tem um papel fundamental no momento de compra, porque permite que os consumidores diferenciem os produtos e elejam qual será adquirido. Mas esse processo não é algo rápido. Para uma marca se consolidar no mercado é necessário tempo, persistência e consistência.

 

O que é branding?

 

Como já falamos, branding é a gestão da marca. São as ações para construir, gerenciar e reposicionar valores da empresa perante o público. As estratégias de branding irão auxiliar na criação dessa identidade de marca e orientar as ações para que a imagem pretendida pela empresa seja a mesma recebida e compreendida pelos consumidores.

Nós, consumidores, adoramos falar, discutir e analisar essas marcas que fazem um trabalho bem feito porque elas ficam  em nossa mente e geram experiências memoráveis e sentimentos.

Normalmente a identidade de uma marca é constituída de uma história. Segundo Brigitte Borja de Mozota no livro “Gestão do Design – Usando o design para construir valor de marca e inovação”, “pessoas não se apaixonam por estratégias de negócios. Pessoas se apaixonam por histórias. Histórias verdadeiras e com essência e emoção”.

Ao gerar emoções através de suas histórias, o consumidor se identifica com a marca e com o que ela propõe e se fideliza. “As marcas fornecem ao produto e à organização um significado e uma história, auxiliando nas ligações emocionais criadas na mente do consumidor”, finaliza.

Esse conceito está parecendo muito abstrato? É só observar algumas grandes marcas no mercado hoje em dia, como a Pixar, por exemplo. No próprio site, eles afirmam ser “desenvolvedores do RenderMan, um software para a criação de imagens realísticas e de alta qualidade”. Na realidade, eles vendem tecnologia. Mas o que você lembra ao falar em Pixar é de um peixinho vagando pelo oceano e brinquedos com vida que foram deixados em casa por um adolescente. Você lembra de histórias que instigaram sentimentos e reações.

Outros exemplos desse trabalho é a Coca-Cola, que vende felicidade – e não refrigerante; a Adidas que vende sonhos e conquistas (Impossible is Nothing) – e não produtos esportivos. Até a brasileira Blueticket não vende ingressos, possibilita experiências ao vivo. A semelhança entre todas elas? Elas não focam em produtos, mas, sim, em histórias, personalidade e experiências.

Mas não são só as gigantes que podem trabalhar o branding. Por exemplo, um restaurante de comida vegana pode vender um estilo de vida, saúde, um ponto de encontro para pessoas com mesmos gostos. Desde startups a médias empresas e multinacionais: o processo de branding é um dos elementos que definem o sucesso da empresa e a fazem aumentar seu valor de mercado.

 

Quais são os ingredientes necessários para um bom processo de Branding?

O processo de construção de uma marca passa, em resumo, por quatro fatores: propósito, posicionamento, definição da identidade e proposta de valor.

Propósito: é o porquê de a marca existir. Todo negócio deve deixar claro qual produto ou serviço ele oferece. É um processo mais interno, que fala diretamente sobre o core da empresa. Nosso propósito, aqui na Tekoa, é “transformar experiências e gerar resultados”.

Posicionamento: é como a marca quer ser vista pelos stakeholders. É a percepção externa do negócio. Ele é feito em cima de um trabalho de conhecimento de público-alvo, que irá determinar a personalidade que a marca deve ter, o tom do conteúdo, ações e o slogan.

Definição da identidade: é o processo criativo do design que irá traduzir, em padrões visuais e comportamentais, a personalidade que a marca deseja transparecer. É onde é produzido ou remodelado o logo, paleta de cores, site etc.

Proposta de valor: é o branding em si. É o benefício que será entregue ao seu cliente, que apenas a sua marca pode fornecer. São as experiências e sentimentos despertados pelas estratégias de gestão.

Todo esse processo deve começar dentro da empresa, sendo absorvido pelos próprios funcionários. Somente assim, todas as experiências de contato entre a empresa e o público poderão realmente passar o mesmo branding e proposta de valor.

Para que você consolide a presença digital da sua empresa, separamos outro conteúdo para você se aprofundar no assunto: O que é customer experience e como isso pode impulsionar o seu negócio.


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *